ELETRODERME (microagulhamento)

A TÉCNICA DE MICROAGULHAMENTO

O microagulhamento é uma técnica que utiliza uma ferramenta que se assemelha a um objeto de tortura, parece brincadeira mas é sério. Nesta técnica, um rolinho com pequenas agulhas acopladas (roller)  causa pequenos orifícios que estimulariam fatores de crescimento e depósito de ativos cosméticos, como a vitamina C, no local a ser tratado.

ELETRODERME

Esse protocolo, o microagulhamento,que desperta muita polêmica, passa por evolução tecnológica minimizando riscos, e obtendo  melhores resultado com o mínimo de dor, surge o equipamento chamado Eletroderme, ele é a radiofrequência microagulhada, ou também chamada de microagulhamento robótico com radiofrequência. Trata-se de uma Plataforma de tratamento poderosa que regenera a pele e tem múltipla ação: trata Acne, Rugas, Flacidez, Marcas, Manchas, Efeito Rejuvenescedor e Lifting e as Estrias. O equipamento atua através de múltiplas microagulhas estéreis banhadas a ouro com total segurança para os pacientes. Trata-se de um sistema único de energia híbrida no qual são associadas a radiofrequência tradicional com a corrente galvânica num mesmo disparo, proporcionando intenso estímulo do colágeno e contração das fibras do colágeno e de elastina.

COMO FUNCIONA O ELETRODERME?

Utiliza agulhas ultrafinas, o que torna os tratamentos menos doloridos e com menor tempo de inatividade. Sistema único de radiofrequência microagulhada que utiliza o recurso do vácuo – melhora o acoplamento e diminui a sensação de dor. Estas microagulhas perfuram as camadas superiores da pele chegando até a derme. A partir daí, é disparada a radiofrequência, exatamente no ponto onde se encontram os fibroblastos, que são as células produtoras do colágeno. O microagulhamento atua desencadeando a formação de novas células na pele e a radiofrequência estimula a produção de novas fibras de colágeno. No final de algumas semanas a pele se torna mais firme e com menos rugas. Outro objetivo deste protocolo a pele mais lisa e homogênea, estimulando a produção de colágeno e clareando manchas. Essa é a proposta da técnica de radiofrequência com microagulhamento. A pele é espetada com microagulhas de aço cirúrgico ou titânio banhadas a ouro. A radiofrequência microagulhada Eletroderme ajuda também  o problema dos poros abertos por meio da radiofrequência microagulhada Eletroderme penetra profundamente na pele, promovendo coagulação, aquecimento e reorganização das fibras de colágeno. A temperatura da derme chega até a 70ºC, estimulando a regeneração celular por meio do processo de cicatrização, a proliferação de células-tronco e estímulo da síntese de elastina, da neocolagênese (produção de colágeno) e angiogênese (proliferação de vasos sanguíneos). As agulhas passam pela superfície sem efeito térmico, apenas emitindo elétrons quando alocadas no ponto ajustado para ação. Além disso, possui um potente sistema eletromagnético impulsionando as agulhas de forma super-rápida, proporcionando procedimentos muito rápidos e poucos doloridos. A entrega de energia se faz no ponto exato onde se objetiva. Seguro, inclusive, para pacientes com peles bronzeadas.

VANTAGENS DO TRATAMENTO COM O ELETRODERME

Entre as diversas vantagens do tratamento podemos citar:

– Aplicação sob vácuo (menor dor);

– Disposição equidistantes das agulhas;

– Energia híbrida;

– Agulhas ultra-finas;

– Maior energia do mercado (60W);

– Disparos ilimitados;

– Agulhas estéreis banhadas a ouro;

– Maior faixa de duração de pulso – de 40 a 900ms;

– Penetração ajustável de 0,1 a 3,2 mm;

– Microagulhamento com e sem radiofrequência;

– Sistema ultrarrápido de impulso eletromagnético;

– Tratamentos microinvasivos e sublativos.

Ao término da sessão o paciente sai com o rosto levemente avermelhado e alguns pontos de edema (por exemplo mas pálpebras). Entretanto a recuperação é muito rápida e no dia seguinte o paciente já pode voltar ao trabalho. Em determinados locais pode sangrar um pouquinho,mas nada muito sério. O rosto costuma ficar um pouco vermelho e um pouco inchado, mas provavelmente após algumas compressas no outro dia já está quase imperceptível. Normalmente já na primeira sessão os resultados começam a aparecer. Em casos mais complexos (como melasma, cicatrizes) indicamos 3-6 sessões com intervalo de 1 mês entre elas. Vale ainda comentar que muitos médicos não aprovam o roller manual temendo falta de higiene adequada e ainda a impossibilidade de resultado igual em toda a face, já que a pressão das mãos de quem o aplica muda involuntariamente: A radiofrequência microagulhada é considerada uma evolução dos rollers, pois ajusta digitalmente a densidade que essas agulhas vão penetrar e sua velocidade. Além disso, ele também tem a radiofrequência na ponta das agulhas, encurtando fibras musculares e de colágeno, atuando assim contra a flacidez. Essa técnica é muito mais segura, precisa e eficiente do que a opção manual.

Agência Digital em Florianópolis