LOBULOPLASTIA (CORREÇÃO DE LÓBULO DE ORELHA)

O lóbulo das orelhas é a única parte do ouvido que não contém cartilagem.  Como resultado, é muito mais delicado do que o resto do ouvido (que é apoiado pela cartilagem) e é passível de ser facilmente rasgado e deformado.

BRINCOS

Você, como a maioria das mulheres, não vive sem brincos? Pois o acessório, quando é muito pesado e usado repetidas vezes, pode causar problemas como o furo das orelhas rasgadinhos ou alargados demais. Geralmente o uso inadequado de brincos pesados, juntamente com outros fatores, como reações eczematosas (alérgicas de contato) ocasionadas pelos metais dos brincos, ocasionam o trauma, que a longo prazo, irá “rasgando” a pele  do lóbulo da orelha. Traumas externos, como puxada do brinco inadvertida ou não, podem também alargar ou mais comumente rasgar o lóbulo da orelha. O lóbulo da orelha, que fica localizado na região inferior, é uma área muito sensível, formada apenas por pele e gordura. Sem a presença de músculo e cartilagem, ou seja, não há nenhuma sustentação. Não dá pra dizer, precisamente, qual o peso que essa região aguentaria.

Porém, você pode ficar atenta aos sinais da orelha rasgando. Por exemplo, se o brinco for pesado demais você vai sentir uma tensão repuxando a pele para baixo. Após anos e anos usando brincos pesados, a consequência é uma orelha rasgada. Em casos mais graves, o rasgo não será um furo alargado, mas a orelha dividida em duas partes. Em algumas ocasiões, mesmo que não haja uma laceração completa, o furo se torna tão grande que a tarraxa passa por ele, e os brincos acabam caindo. Portanto, se você usa brincos muito pesados repetidas vezes ou alargadores grandes, então pode sofrer com o incômodo de ter furos avantajados ou rasgos nas orelhas.

HOMENS

E isso, é claro, também pode acometer os homens: embora eles costumem optar por piercings e brincos menores, o problema também pode acontecer devido ao uso de alargadores (usado igualmente pelas mulheres).  Além disso, o rasgo no lóbulo também pode acontecer pelo uso de vários piercings ou brincos simultaneamente.

AUTO ESTIMA

Apesar de este não ser um problema de saúde grave, o lóbulo rasgado traz consequências emocionais e psicológicas. Como os brincos são muito valorizados na aparência feminina, muitas mulheres se sentem deprimidas por não poderem mais utilizar este acessório. Também existem casos de homens e mulheres que usaram alargadores no passado e não se identificam mais com o acessório atualmente se sentem constrangidos ao exibir o lóbulo lesionado, pois o furo não faz mais parte de sua personalidade.

SOLUÇÃO

A solução definitiva para reconstruir o lóbulo é costurar orelha furada. Trata-se da cirurgia plástica chamada de lobuloplastia. A lobuloplastia é a cirurgia para correção de lóbulo bífido ou fendido. Deixando no lugar do rasgo uma cicatriz discreta, para que você possa usar brincos novamente.

OBJETIVOS DA LOBULOPLASTIA

Entre os objetivos da cirurgia, estão a correção dos rasgos, a formação de cicatrizes discretas de forma a poder acomodar novos brincos e alargadores e, se necessário e desejado, a diminuição do lóbulo da orelha, que dá um efeito de rejuvenescimento ao paciente.

Pessoas que têm esse problema e não o corrigem com cirurgias podem apresentar uma queda brusca de sua autoestima, ficar envergonhadas e até mesmo sofrer de depressão em alguns casos. Independentemente de como foi encontrado esse problema, é essencial que ele seja resolvido o quanto antes para devolver à pessoa sua autoestima e o prazer em poder colocar brincos novamente com total segurança e conforto.

PROCEDIMENTO

A intervenção na orelha bífida pode ser feita a partir de 30 dias do acidente ou após a cicatrização da injúria. Para entender melhor este problema, ele acomete o lóbulo na maioria das vezes e pode ser total ou parcial e pode ser corrigido através da reconstrução do lóbulo.

Também é possível diminuir o tamanho do furo, pois mesmo que você pare de usar brincos, seus furos não vão diminuir e a única solução é a cirurgia plástica.

Para que o furo volte a ser pequeno, é necessário fechá-lo. Isso se faz ressecando a pele ao redor do orifício aumentado ou quando necessário retira-se também parte do lóbulo, caso este esteja bem aumentado (pendular).

RECOMENDAÇÕES

Recomenda-se ficar 3 meses sem furar o lóbulo depois da cirurgia. Contudo, não é recomendável fazer o furo novo na mesma região operada. Já que a pele estará mais fina e sensível.

TÉCNICAS DISPONÍVEIS

Há várias técnicas que podem ser utilizadas em uma cirurgia de orelha rasgada, cuja escolha será feita pelo cirurgião após uma avaliação de cada caso. Na maior parte das vezes os furos e rasgos são suturados visando deixar a cicatriz com máxima discrição e conceder maior resistência à orelha, para que o paciente possa continuar a utilizar brincos.

ANESTESIA

Geralmente se utiliza anestesia local, que impede que se sinta qualquer dor na área do procedimento. Em alguns casos, pode ser necessário diminuir o tamanho do lóbulo do paciente, que pode ter ficado excessivamente grande pelo peso dos brincos utilizados. Esse procedimento modifica o aspecto da orelha para melhor e atua como uma técnica de rejuvenescimento facial.

Na maior parte dos casos, a cirurgia é feita com anestesia local, geralmente sem necessidade de sedação, e sua duração é de cerca de 30 minutos.

ALTA HOSPITALAR

O paciente recebe alta no mesmo dia, aproximadamente uma hora depois do procedimento, podendo voltar ao trabalho e retomar as atividades físicas no dia seguinte.

RECUPERAÇÃO

Em geral, a recuperação não é muito dolorosa, mas podem surgir inchaços e manchas roxas no local operado. Pode ser necessário o uso de curativo durante um ou dois dias, mas a região permanecerá exposta depois desse tempo. Os pontos são retirados em torno de 10 dias depois da cirurgia.

Se durante este período for necessário disfarçar os pontos em uma ocasião social, por exemplo, o paciente poderá utilizar uma fita adesiva para cobri-los.

É recomendável evitar a exposição ao sol por 30 dias. A cicatriz da cirurgia de reconstrução do lóbulo rasgado corresponde à sutura para fechar o furo. Ela será visível no local do rasgo, mas o cirurgião plástico fará o possível para que seja o mais discreta possível.

EVOLUÇÃO

No começo, a cicatriz será avermelhada, e sua coloração se aproximará da cor da pele com o passar do tempo.

RESULTADOS

O resultado final só poderá ser avaliado seis meses depois da cirurgia, quando a cicatriz estiver bem acomodada ao nível da pele, tornando-se quase imperceptível.

COMPLICAÇÕES

As complicações possíveis são a formação de queloides, alteração da coloração e a elevação da cicatriz. Esses problemas podem ser tratados pelo cirurgião plástico. Depois que tirar os pontos, o paciente já pode usar brincos de pressão.

FURAR NOVAMENTE A ORELHA

Para fazer uma nova perfuração na orelha, será necessário aguardar 6 semanas depois da cirurgia – esse tempo pode variar de pessoa para pessoa e somente o cirurgião plástico poderá liberar o novo furo.

É importante que o novo furo não seja feito exatamente em cima da cicatriz. No caso dos alargadores, recomenda-se escolher um acessório com diâmetro menor do que o anterior para que ele não exerça pressão na área operada e acabe rasgando o lóbulo novamente.

Se a sua orelha rasgou e você optou por fazer a cirurgia de correção, agora é necessário ter ainda mais cuidados para que o problema não aconteça novamente.

RECOMENDAÇÕES FINAIS

A primeira medida é evitar o uso frequente de brincos muito pesados, assim como de alargadores muito grandes. Caso esteja usando brincos grandes, tenha cuidado ao lidar com crianças pequenas, pois as peças despertam interesse nos bebês, que podem acabar puxando os acessórios. Tenha cuidado extra ao colocar ou tirar blusas (de preferência, faça isso sem os brincos) e ao utilizar o telefone, de forma a evitar que os brincos enrosquem no aparelho.

Lembre-se de retirar os brincos antes de dormir, praticar atividades físicas ou mesmo ao ir ao salão de beleza. Por fim, mantenha a higiene do local em dia para evitar infecções.

Agência Digital em Florianópolis